Postado em 26 de Novembro de 2018 às 14h59

Revista Servioeste é finalista do Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental

Resp. Ambiental (35)

Reportagem sobre a destinação final dos resíduos sólidos urbanos é finalista do 11º prêmio do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina.

A Revista Servioeste é uma das finalistas da 11ª edição do Prêmio IMA de Jornalismo Ambiental, promovido pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), com a reportagem O Destino dos Excedentes, da jornalista Carol Bonamigo. A matéria, que foi capa da terceira edição da Revista, ilustra o panorama atual dos resíduos sólidos urbanos no País, trazendo à tona a importante discussão sobre consumo consciente, a situação dos aterros e lixões, bem como a vida dos trabalhadores que lidam diariamente com os resíduos recicláveis.

Neste ano, a premiação recebeu 79 inscrições nas cinco categorias: mídia impressa, telejornalismo, radiojornalismo, internet e fotojornalismo. A iniciativa reconhece as melhores matérias jornalísticas sobre meio ambiente publicadas na imprensa catarinense em cinco categorias: mídia impressa, telejornalismo, radiojornalismo, internet e fotojornalismo. Além dos finalistas, o júri também selecionou alguns trabalhos que irão receber menção honrosa por participação. Os vencedores serão conhecidos durante jantar de premiação no dia 4 de dezembro, em Florianópolis.

Para o presidente do IMA, André Adriano Dick, a evolução do Prêmio ao longo dos anos mostra a força do jornalismo ambiental em Santa Catarina. “Já são onze anos de Prêmio e a cada edição a qualidade dos trabalhos é ainda melhor. Sentimos orgulho em pensar o quanto essa iniciativa cresceu e se consolidou, já fazendo parte do calendário dos jornalistas catarinenses”, comenta Dick.

O Prêmio é patrocinado pela Engie Energia e conta com apoio da Associação Catarinense de Imprensa (ACI), Associação dos Diários do Interior (ADI), Associação dos Jornais do Interior (Adjori), Associação Catarinense das Emissoras de Rádio e TV (Acaert) e Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina.

Sobre o prêmio

Revista Servioeste Saúde e Meio Ambiente Sobre o prêmio Assim como a instituição que, desde dezembro de 2017, passou a ser Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina, em substituição à Fatma –...

Assim como a instituição que, desde dezembro de 2017, passou a ser Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina, em substituição à Fatma – Fundação do Meio Ambiente – o prêmio também ganha novo nome e identidade visual, porém mantém o conceito, reconhecer e premiar os trabalhos jornalísticos que destacam a valorização do meio ambiente, especialmente, por meio da educação ambiental.

Ao longo de 10 anos, o Prêmio Fatma de Jornalismo Ambiental se consolidou como um dos mais importantes concursos do segmento. A partir da 11ª edição, agora como Prêmio IMA, busca crescer mais ainda no intuito de valorizar a atuação dos veículos de comunicação que, por meio de reportagens e notícias, divulgam e difundem as atividades e iniciativas que são fundamentais para a conscientização e preservação dos recursos naturais.

Veja no site do IMA a lista de todos os finalistas.

Veja também

Projeto Compostar coleta lixo orgânico no DF27/07/18Projeto que oferece coleta por assinatura já reciclou cerca de 80 toneladas de resíduos orgânicos que seriam enviados para os aterros de Brasília. Os jovens do Projeto Compostar cuidam de um assunto muito delicado e problemático, o lixo. Aproveitando-se da brecha para empreender com lixo orgânico, o Projeto Compostar recicla e transforma em adubo os resíduos gerados nas residências e restaurantes de Brasília. Assim, os resíduos orgânicos que antes eram enviados aos lixões e aterros sanitários, agora......
Implicações do descarte indevido de efluentes11/05/20Além de crime ambiental, a ação tem consequências à saúde Resíduos e efluentes gerados pelas atividades domésticas, industriais, do agronegócio e de serviços de saúde necessitam ser tratados por processos técnicos, de forma a garantir a integridade do meio ambiente e da......
Terras Secas16/04/18Escassez de água em regiões brasileiras causa preocupação e estimula novos projetos para levar frescor às comunidades semiáridas do País. Por Carol Bonamigo Apesar do Brasil ser detentor de 13% da água doce superficial do planeta, quase 900 cidades já apresentavam situações de emergência reconhecidas pelo Governo Federal, entre janeiro e março de......

Voltar para NOTÍCIAS