Postado em 07 de Abril às 12h54

Dia Mundial da Saúde

Especial (18)Notícias (6)

Em meio à pandemia Covid-19, profissionais devem redobrar cuidados no manejo dos resíduos de saúde

Com o retorno de atividades ligadas a profissionais de clínicas odontológicas, de saúde, veterinárias, salões de beleza, manicures, podólogos, barbearias, medicina por imagem, dentre outros, aumenta a geração de resíduos de serviços de saúde (RSS).

Trabalhadores desses setores devem ser capacitados para a prevenção da transmissão e contaminação por agentes infecciosos, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, que classifica o novo coronavírus como agente biológico de alto risco individual e moderado risco para a comunidade.

Profissionais de empresas caracterizadas como geradoras de resíduos de saúde devem redobrar a atenção e seguir rigorosamente os protocolos de higiene e segurança, indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde, devido aos riscos de contaminação biológica pelo Covid-19.

Resíduos de serviços de saúde (RSS)

O ciclo da gestão de resíduos de serviços de saúde inicia pelos profissionais diretamente vinculados ao manuseio de materiais que podem estar infectados ou conter resíduos enquadrados na Resolução 222 da Anvisa.

Os trabalhadores de serviços de saúde são responsáveis pela classificação e segregação correta e adequada dos resíduos que, posteriormente, seguirão a cadeia da gestão de resíduos conforme normas oficiais.


Orientações


Visando orientar a adoção de medidas de prevenção e controle durante a assistência a casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou recomendações que vão desde o atendimento hospitalar ao tratamento de resíduos provenientes de pacientes suspeitos ou confirmados de infecção pelo Covid-19. 

O cenário de alto risco de infecção demanda cuidados especiais em todos as etapas da cadeia de produção e gestão de resíduos de saúde e envolve diferentes setores e serviços, do profissional da saúde aos profissionais das empresas responsáveis pelo tratamento e destinação correta destes materiais, com foco a evitar a proliferação da doença.

Assegure-se de seguir as recomendações de segurança, capacitação, uso de equipamentos de proteção individual e verifique se sua empresa atende às exigências legais.
 

Veja também

Os perigos dos cigarros eletrônicos29/05 Brasil tem casos suspeitos de doenças pulmonares provocadas pelo uso dos dispositivos. Nos Estados Unidos, o assunto é tratado como epidemia Eles não causam mau hálito, não espalham bitucas, não possuem mau cheiro e vendem promessas tentadoras: a de serem menos nocivos à saúde e até uma alternativa para largar o vício. Este marketing da......
Guerra dos Canudos09/08/18Cerca de 35% do plástico produzido é usado só uma vez, por apenas 20 minutos, o seu descarte inadequado resulta em um décimo desse produto encontrando o mar. Por Carol Bonamigo Tudo o que você consome acaba, eventualmente, sendo descartado. Se você nunca parou para pensar nisso, talvez este seja o momento. O plástico, por exemplo, um produto inegavelmente presente no cotidiano da vida......
Crise na Hemodiálise12/06/17A falta de sustentabilidade econômica do setor agrava situação dos pacientes renais crônicos no País. Por Carol Bonamigo Simone Wilke tinha apenas 23 anos quando uma anemia muito forte começou a afetar sua saúde. O diagnóstico mostrou que tinha lúpus – doença inflamatória causada quando o sistema......

Voltar para NOTÍCIAS