Postado em 10 de Julho de 2018 às 16h02

Recolhimento de Resíduos de Saúde

Gestão de Saúde (30)

Volta Redonda/RJ recolhe, em média, 16 toneladas de Resíduos de Serviços de Saúde por mês.

Seguindo orientações da ANVISA, a secretaria de Saúde de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, iniciou, em 2017, um projeto de elaboração, implementação e capacitação sobre o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), com objetivo de reduzir os riscos característicos à produção dos resíduos que possam causar danos ao meio ambiente e a saúde pública. No município são recolhidos, em média, de 16 toneladas de Resíduos de Serviços de Saúde por mês.

“Os resíduos são coletados nas unidades geradoras e encaminhados até a unidade de tratamento, utilizando técnicas que garantem a preservação e a integridade dos trabalhadores, da população e do meio ambiente, por empresas terceirizadas contratadas e licenciadas para as atividades”, explicou a coordenadora do Programa de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, Maria Cristina Azevedo.

De acordo com a secretaria, os resíduos são divididos em quatro grupos: resíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção; resíduos contendo produtos químicos que podem apresentar risco à saúde pública ou ao meio ambiente; resíduos que não apresentam risco biológico, químico ou radiológico à saúde ou ao meio ambiente; e resíduos perfuro cortantes ou escarificantes.

O início do Programa de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde foi em maio de 2017, com a capacitação inicial das gerentes das unidades básicas de saúde. Desde então os avanços foram inúmeros, desde a conscientização dos profissionais sobre a importância do gerenciamento correto dos resíduos, redução dos riscos inerentes a produção e acidentes envolvendo os perfuros cortantes.

“De acordo com uma política orientada pelo prefeito Samuca Silva e adotada pela secretaria municipal de saúde a adoção de um programa gerenciamento de resíduos de saúde institucionaliza procedimentos a serem seguidos pelas equipes de saúde e protege o meio ambiente e os próprios profissionais”, falou o secretário de Saúde de Volta Redonda.

Foram realizadas 63 capacitações, abrangendo as gerentes das unidades, auxiliares de serviços gerais, agentes comunitários de saúde, coordenadores das Clínicas Odontológicas Concentradas e Centros de Especialidades Odontológicas, técnicos de saúde bucal e palestra no Conselho Regional de Odontologia. Foram capacitadas 55 unidades, totalizando, 798 profissionais, envolvendo toda rede municipal de saúde de Volta Redonda.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, falou sobre a os inúmeros benefícios do Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. “O descarte correto dos resíduos de serviços de saúde favorecem a preservação dos recursos naturais e o atendimento aos requisitos de qualidade e de saúde pública, redução do impacto ambiental, entre outros”, disse o prefeito.

*Texto: Ana Maria Mansur / Secom VR

Veja também

Unidades Básicas de Saúde serão informatizadas15/08/17Unidades básicas de saúde estarão informatizadas até o fim de 2018, diz ministro. Até 2018, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do País estarão informatizadas, disse ontem (14) o Ministro da Saúde, Ricardo Barros. Segundo ele, cerca de 15 mil UBSs já são informatizadas atualmente e a previsão é que mais 27 mil se somem a este número até o final do ano que vem. “A meta é informatizar 100% das......
Ciência X espiritualidade27/01 Medicina diagnostica espírito dos pacientes para encontrar reais causas de doenças Angela Piana Sabe aquela máxima de que a fé tem poder de cura? Talvez você tenha exemplos dentro da sua família,......
Setembro Amarelo11/09/17Campanha visa conscientizar a população para a prevenção do suicídio. A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) promove, anualmente, a campanha Setembro Amarelo, com o objetivo principal de informar corretamente a população acerca da prevenção do suicídio. Em 2016, a campanha......

Voltar para NOTÍCIAS