Postado em 06 de Setembro de 2017 às 15h50

Chapecó registra primeiro óbito por meningite

Gestão de Saúde (28)

Até o final de agosto deste ano, Santa Catarina confirmou 552 casos de meningites, com um total de 39 óbitos.

Após a confirmação do primeiro óbito por meningite bacteriana na cidade de Chapecó, a população ficou apreensiva com a possibilidade de surgirem mais casos da doença. De acordo com a médica infectologista Carolina Ponzi, a vítima, um rapaz de 22 anos, apresentava um quadro clínico que indicava meningococcemia – infecção disseminada pela bactéria chamada Neisseria Meningitidis, causadora da Meningite Meningocócica. “Houve também o óbito de uma menina de 14 anos, que não houve confirmação laboratorial e outros três pacientes estão em investigação, cujos resultados devem sair ainda nessa semana”, afirma a médica.

O setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do município de Chapecó informou em nota oficial que em 2017, até o dia 5 de setembro foram confirmados 16 casos de meningite em geral, sendo sete casos virais, oito bacterianas e um óbito por meningocóccemia confirmado em diagnóstico clínico e laboratorial.

Ainda conforme a nota divulgada, todos os casos de meningite registrados até o momento não apresentam vínculo epidemiológico entre si e, portanto, não caracterizam surto da doença. “Em relação ao óbito confirmado no município, foram realizadas todas as medidas preconizadas pelo guia de Vigilância Epidemiológica, bem como o controle de possíveis contatos e suspeita de casos novos. Esclarecemos que a Secretaria de Saúde de Chapecó está em permanente vigilância juntamente com o estado e todas as medidas de bloqueio e controle estão e continuarão sendo adotadas”, comunicou a Vigilância Epidemiológica, lembrando que há vacinas disponíveis gratuitamente na rede pública de saúde do município.

Sobre a doença

Revista Servioeste - Saúde e Meio Ambiente Sobre a doença A doutora Carolina alerta para os cuidados com a higienização deve ser constante para a prevenção de diversas doenças, dentre elas a meningite. “A...

A doutora Carolina alerta para os cuidados com a higienização deve ser constante para a prevenção de diversas doenças, dentre elas a meningite. “A doença meningocócita é bastante grave. Pode ser somente quadro meníngico ou infecção generalizada pelo meningococo. Normalmente começa com sinais clínicos inespecíficos, como febre, dor no corpo, mal estar e, rapidamente, evolui para choques com fenômenos hemorrágicos e necroses pela pele. É um quadro muito rápido e fulminante, em 48 horas. Muitas vezes, mesmo com tratamento, é bastante grave e pode levar a morte”, adverte.

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou, ainda, por processos não infecciosos. Os grupos etários de maior risco são as crianças menores de cinco anos, principalmente as menores de um ano, e os indivíduos maiores de 60 anos. “O Programa Nacional de Imunizações oferece as vacinas Meningocócica tipo C e Pneumococo 10, para imunização básica, no primeiro ano de vida da criança. As vacinas penta e hexavalente também estão disponíveis na rede pública de saúde. Já as vacinas Meningocócica ACWY, que protege contra quatro tipos de meningococo, e também a de tipo B estão disponíveis apenas na rede privada. Além das imunizações, deve-se evitar ambientes muito fechados, pois são doenças transmitidas por vias respiratórias, e manter as mãos bem higienizadas. Não há necessidade em criar pânico entre a população em relação a esses casos”, afirma a infectologista.

Vale ressaltar que a Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente será realizada de 11 a 22 de setembro em todo o País. Durante este período, os postos de saúde da rede pública oferecerão 16 tipos de vacinas para crianças e para adolescentes menores de 15 anos de idade, de diferentes faixas etárias. O ‘Dia D’ será realizado em 16 de setembro, quando todos os postos de saúde da rede pública de Santa Catarina estarão abertos das 8h às 17h.

Os números em Santa Catarina

Em 2017, até o dia 25 de agosto, foram confirmados 552 casos de meningites em geral, com um total de 39 óbitos, registrados no Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde. Do total de casos, 64 apresentaram as formas mais graves de meningite (doença meningocócica, meningite pneumocócica e meningite por Haemophilus), dos quais 13 evoluíram para óbito.

Em 2016, foram confirmados 727 casos de meningite em geral em Santa Catarina, com 65 óbitos. Do total de casos, 95 apresentaram as formas mais graves de meningite (doença meningocócica, meningite pneumocócica e meningite por Haemophilus), dos quais 17 evoluíram para óbito.

Veja também

Confirmado primeiro caso autóctone de chikungunya em SC09/03/18DIVE confirma primeiro caso autóctone de febre chikungunya em Santa Catarina. A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) confirmou o primeiro caso autóctone de febre chikungunya em uma pessoa residente no município de Cunha Porã, na Microrregião Oeste de Santa Catarina.O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Segundo a......
Home Care em alta09/07 Assistência médica domiciliar cresce no Brasil e abrange mais de 670 empresas e 230 mil profissionais Keli Magri Há mais de um século, uma cena era comum em pequenas e grandes cidades: o médico da família ou......
Dia Nacional de Combate ao Fumo29/08/18Tabagismo está ligado a diversos casos de câncer e doenças respiratórias. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no planeta, sendo considerado, portanto, um problema de saúde pública. Estima-se que cerca de 200 mil......

Voltar para NOTÍCIAS