Postado em 08 de Agosto de 2017 às 09h49

Orientações sobre descarte correto de lixo orgânico

Educação Ambiental (23)

Ministério do Meio Ambiente traz diversas formas de compostagem dos resíduos orgânicos, visando impulsionar o método no Brasil e proteger o meio ambiente.

A sanção da Lei nº 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, trouxe diversas diretrizes, objetivos e responsabilidades para toda a sociedade brasileira. No que tange aos resíduos orgânicos, implantar sistemas de compostagem e articular com os agentes econômicos e sociais formas de utilização do composto produzido são claramente estabelecidas como obrigações dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos.

Conforme o Ministério do Meio Ambiente (MMA), os resíduos orgânicos, que representam cerca de 50% dos resíduos urbanos gerados no Brasil, têm a particularidade de poderem ser reciclados por meio de processos como a compostagem, em qualquer escala, desde a doméstica até a industrial. Atualmente, o País produz aproximadamente 250 mil toneladas de lixo por dia e seu descarte incorreto causa diversos danos ao planeta.

Por isso, o MMA lançou uma cartilha online que explica e informa de forma didática sobre o descarte correto de lixo orgânico. A iniciativa surgiu após o Ministério perceber que esses resíduos representam metade do lixo gerado no Brasil, o que é bastante preocupante, uma vez que esses são uma ameaça ao meio ambiente, por liberarem chorume e gases de efeito estufa no solo e no ar, e colaborarem com o aparecimento e a propagação de animais transmissores de doenças.

Revista Servioeste Saúde e Meio Ambiente O manual de orientação é uma parceria entre o MMA, SESC e Cepagro de Santa Catarina e visa mostrar para a população que o correto é fazer com que os...

O manual de orientação é uma parceria entre o MMA, SESC e Cepagro de Santa Catarina e visa mostrar para a população que o correto é fazer com que os resíduos orgânicos, como aparatos de madeira, esterco e restos de comida e poda, voltem para o solo de forma segura e sejam utilizados como adubos naturais em jardins, hortas, pastos e na recuperação de áreas degradadas.

A cartilha ainda dá diversas dicas de compostagem doméstica, comunitária e institucional, mostrando a melhor forma de separação do lixo e descarte do material, quais ferramentas e equipamentos utilizar e os materiais e insumos necessários. Além disso, mostra alternativas para o tratamento dos resíduos orgânicos, tais como: vermicompostagem (com minhoca), enterramento, biodigestão e incineração.

Para o Ministério, o principal objetivo desse manual é impulsionar a compostagem no Brasil, motivando para a população e as instituições a autogestão e o grande potencial de aproveitamento dos lixos orgânicos.

 

*Fonte: Ministério do Meio Ambiente e Pensamento Verde

Veja também

Bitucas que matam09/07/19 Vilão da saúde e do meio ambiente, cigarro ultrapassa o plástico na poluição dos oceanos. Descarte correto evita contaminação e incentiva reciclagem Keli Magri Ao inalar fumaça, o fumante assume os riscos que o vício impõe ao organismo. A nicotina que chega de sete a 19 segundos ao cérebro, leva um minuto para alcançar os......
Um olhar além da reciclagem18/12/19 Economia circular otimiza e prolonga uso de recursos e desponta como novo modelo econômico. Portugal lidera proposta que elimina desperdício e permite regeneração de materiais Keli Magri Como é seu consumo dentro......
Déficit de natureza18/05/20 Falta de contato com a natureza pode causar problemas à saúde. Um dos lados positivos dessa quarentena foi a redução da poluição e da emissão do gás ozônio. Pudemos vislumbrar, mesmo que do......

Voltar para NOTÍCIAS